Internacional

França. "Daqui a 32 feminicídios será Natal"

Gauleses em protesto contra a violência sexual e de género no país

Milhares de franceses saíram hoje à rua para se manifestar contra a onda de violência sexual e de género no país - foram 116 as mulheres que perderam a vida desde o início do ano devido a crimes desta natureza (números oficiais; alguns grupos de defesa dos direitos das mulheres apontam para 137 homicídios desde janeiro).

"Daqui a 32 feminicídios será Natal", "Rompamos o Silêncio, Não as Mulheres" ou "Pátria Indiferente a Mulheres Assassinadas" eram algumas das inscrições que se podiam ler nos cartazes empunhados nas cerca de 30 manifestações que tiveram lugar em várias cidades de França e que surgem na antevéspera do final do prazo para uma consulta pública alargada sobre o tema, lançada no início de setembro para sensibilizar a população. É esperada a apresentação de cerca de 40 medidas de combate à violência doméstica pelo primeiro-ministro francês, Édouard Philippe.

Em 2018, o número oficial de mulheres mortas em contexto conjugal foi de 121, de acordo com o Ministério do Interior francês. Em novembro, foram quase 50 mil as pessoas que se reuniram em vários pontos do país, numa iniciativa semelhante à realizada este sábado.