Sociedade

Funcionalidade para pessoas com deficiência visual vai ser implementada em 700 táxis

"Há uma questão de confiança que já existe, era importante a questão formal do serviço. Nós também não gostamos que sejam os outros a dar a informação de quanto temos de pagar, aqui é o taxímetro a falar e a dizer o valor", sublinhou Carlos Silva.

A partir desta terça-feira, os Cooptáxis, com uma frota de cerca de 700 carros, vão estar abastecidos de áudio-táxis, de forma a poderem ajudar os clientes cegos e amblíopes, condição vulgarmente por 'olho preguiçoso', e que consiste na diminuição da acuidade visual de um olho ou dos dois olhos devido a problemas no desenvolvimento da visão durante a infância.

Segundo o vice-presidente da Cooptáxis, citado pela agência Lusa, esta nova funcionalidade “vai fazer a opção de taxímetro”. Carlos Silva explicou, segundo o Correio da Manhã, que “quando o cliente entra no veículo, vai ser saudado, é identificado o número do táxi, a tarifa a aplicar”. Os áudio-táxis explica mesmo o valor a pagar e “despede-se, com cortesia”, segundo o presidente.

O serviço vai ser implementado na zona da Grande Lisboa – Almada, Loures, Odivelas, Lisboa e Seixal -, onde se encontra a maioria da frota. Porém, segundo Carlos Silva, vai ser depois implementado mais tarde em Guimarães, Portimão, Faro, Tavira, Olhão, Vila Real de Santo António e Loulé.

"Já transportamos cegos há muitos anos, acabam por fidelizar-se às centrais, o operador já os conhece, há uma relação de confiança", explicou Carlos Silva, explicando à mesma publicação que o condutor será informado, previamente, de que irá transportar um cliente cego.

"Há uma questão de confiança que já existe, era importante a questão formal do serviço. Nós também não gostamos que sejam os outros a dar a informação de quanto temos de pagar, aqui é o taxímetro a falar e a dizer o valor", sublinhou.