Cultura

Morna de Cabo Verde já é Património Imaterial da Humanidade

Cesária Évora é considerada a grande responsável por ter tornado o estilo musical reconhecido internacionalmente. 

O género musical morna foi oficialmente reconhecido como Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO, esta quarta-feira, em Bogotá.

A candidatura do estilo musical cabo-verdiano foi apresentada em março de 2018 pelo país e já tinha recebido o aval da comissão de peritos em novembro. Foi hoje reconhecida durante a reunião do Comité do Património Cultural Imaterial da Unesco, que decorre em Bogotá, Colômbia, até dia 14 de dezembro.

A morna nasceu no século XIX. Eugénio Tavares, nome maior da morna, defendeu que o estilo musical nasceu na ilha da Boa Vista, no entanto, no dossiê da candidatura a decisão não é consensual, tendo sido apontado também a ilha Brava.

Além de Eugénio Tavares, também Francisco Xavier da Cruz e 'B.Léza' são dos nomes mais apontados no crescimento da morna. Cesária Évora é considerada a grande responsável por ter tornado o estilo musical reconhecido internacionalmente.