Economia

Trabalhadores da TVI protestam à hora do almoço

Contestação visa as incertezas em relação ao futuro da empresa no âmbito da aquisição da TVI pior parte da Cofina.

Cerca de uma centena de trabalhadores da TVI protestaram esta quarta-feira, durante a hora de almoço, contra as incertezas em relação ao futuro da empresa. A contestação fez-se sentir em Lisboa e no Porto.

Em causa está, sobretudo, aquilo que os trabalhadores consideram ser a falta de informação dada aos funcionários relativamente ao processo de venda da empresa à Cofina. Outras queixas prendem-se com a degradação das condições de trabalho, dos salários baixos e dos contratos precários.

Este protesto, que já havia sido antecipado pelo i, surge na sequência destas e outras questões. A “gota de água” surgiu recentemente com o corte dos cartões de Natal, que, uma vez mais, deixou os trabalhadores da TVI surpreendidos e insatisfeitos. Numa carta enviada à administração, à qual o nosso jornal teve acesso, os trabalhadores demonstraram preocupação e descontentamento. “Mais uma vez, não sentimos qualquer preocupação da parte da administração com o impacto dessa medida nos trabalhadores, mais apelamos a que seja reconsiderada”.

O impasse na venda do grupo – que está em contagem decrescente – faz também parte do email dos trabalhadores: “Sabemos da particular fase que a empresa atravessa e, por isso mesmo, demos o nosso melhor durante todo o ano. Nunca como agora foi pedido tanto a tão poucos e nós não falhámos”, avançam os trabalhadores, que confessam sentir-se castigados pelo facto de os resultados da estação de Queluz de Baixo não serem os esperados.

Entretanto, a Autoridade da Concorrência (AdC) deu luz verde à compra da TVI por parte da Cofina, confirmando-se assim a notícia avançada pelo SOL. A administração da Media Capital continua a não dar respostas às reivindicações dos funcionários e o protesto desta quarta-feira é apenas mais um sintoma do clima que se vive actualmente no interior da TVI.