Sociedade

ANTRAM pede isenção de portagens para pesados

Em causa estão as condições em que se encontram o IP3 e a A14.

A ANTRAM (Associação Nacional de Transportes Públicos) pediu, esta segunda-feira, medidas de apoio devido ao impacto da tempestade Elsa e Fabien. A associação destacou os danos “IP3, que têm condicionado fortemente a circulação e contribuído para um incremento de custos relevante e para o aumento da insegurança naquela via”.

Enquanto decorrem as obras no IP3, a ANTRAM propôs que uma das medidas seja “a isenção do pagamento de portagens para veículos pesados em percurso alternativo entre a A25 e a A1, entre o nó de ligação de Mangualde (A25) e Coimbra Norte (A1)”.

A mesma isenção é pedida no caso da utilização da A14, “enquanto não forem regularizados os danos consequentes da queda dos diques em Montemor-o-Velho, o que tem causado graves consequências nas ligações à Figueira da Foz”.

Desde quarta-feira que o mau tempo – causado pela depressão Elsa e Fabien – causou dois mortos, um desaparecido e 144 pessoas desalojadas. Outras 352 pessoas foram desalojadas por precaução. Foram registadas mais de 11600 ocorrências, na maioria inundações e quedas de árvores. Também a circulação rodoviária e ferroviária ficou condicionada devido ao mau tempo.