Internacional

Diretora de escola afirma que Kobe Bryant mereceu morrer e é suspensa

“Não vou mentir. Mas parece-me que o karma hoje apanhou um violador", escreveu Liza Sejkora, no Facebook. 

A diretora de uma escola secundária em Washington, nos Estados Unidos, foi suspensa depois de ter feito uma publicação no Facebook onde disse que, na sua opinião, a morte da estrela de NBA Kobe Bryant foi “merecida”. “Não vou mentir. Mas parece-me que o karma hoje apanhou um violador", escreveu Liza Sejkora, no Facebook. 

Recorde-se que Kobe Bryant foi acusado em 2003 de ter agredido sexualmente uma empregada de um hotel, no estado norte-americano do Colorado. Apesar de o caso não ter ido avante, visto a alegada vítima ter decidido não testemunhar, Bryant, apesar de dizer que era inocente e que a relação tinha sido consensual, o jogador acabou por pedir desculpa à jovem através de um comunicado, por ter percebido que a mulher tinha interpretado o que tinha acontecido de outra forma.

Depois da polémica gerada em volta da publicação, Liza Sejkora optou por eliminar a partilha, mas acabou por voltar a referir-se ao assunto nas redes sociais."Vocês são livres de me julgar pela minha publicação, tal como eu sou livre de julgar a pessoa a quem a publicação se referia", escreveu.

Apesar da sua opinião ter sido sublinhada nas redes sociais, Liza Sejkora sentiu que deveria enviar um pedido de desculpas aos pais dos alunos pela situação. "Quero pedir desculpa por ter dado a entender que a morte de uma pessoa é merecida. Foi inapropriado e de mau gosto", lê-se na nota a que a CNN teve acesso. "Aprendi uma grande lição e espero poder recuperar a vossa confiança", acrescentou. No entanto, o estrago estava feito e Liza acabou mesmo por ser suspensa pelas suas palavras. 

Recorde-se que Kobe Bryant e a filha Gianna, de 13 anos, morreram no dia 26 de janeiro num desastre de helicóptero, em Calabasas, Califórnia.