Internacional

Afinal período de incubação do novo coronavírus pode durar até 24 dias, diz novo estudo

Pesquisa revela ainda que deteção dos casos não se pode focar na medição da temperatura.

Um novo estudo concluiu que o período de incubação do novo coronavírus pode prolongar-se até 24 dias e não apenas 14 dias como se apurou inicialmente. A pesquisa, levada a cabo por 37 investigadores, e coordenada pelo epidemologista chinês Zhong Nanshan, foi publicada esta terça-feira, e mostra que detetar o 2019- nCoV pode ser mais difícil do que se pensava.

Partes do estudo foram divulgadas no portal de investigação de ciência de saúde MedRxiv e mostram que a febre, aquele que é tido como um dos primeiros sintomas da infeção, se manifestou em apenas 43,8% dos pacientes na primeira ida ao médico.

“A ausência de febre é mais frequente [entre os pacientes analisados] do que na Síndrome Respiratória Aguda e Grave (SARS ou pneumonia atípica) e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS), portanto a deteção dos casos não pode focar-se na medição da temperatura", refere o estudo, citado pelo jornal chinês Caixin.

Os exames de imagiologia aos pulmões, como as TAC, também não garantem a deteção da doença, uma vez que muitos doentes não apresentam sintomas, pelo menos numa fase inicial da doença.

Para a pesquisa foram analisados 1099 pacientes com o novo coronavírus, que foram diagnosticados até 29 de janeiro, em 552 hospitais de 31 sítios da China. Os pacientes tinham uma idade média de 47 anos, 41,9% eram mulheres e 26% não tinham estado recentemente em Wuhan, o epicentro do surto, ou tido contacto com pessoas daquela cidade.

A investigação concluiu ainda que o período médio de incubação foi de três dias. Contudo, houve casos em que se registou um período de incubação de 24 dias.

Recorde-se que o novo coronavírus já fez mais de mil vítimas mortais e mais de 42 mil pessoas estão infetadas.