Sociedade

Associação diz que João Moura maltrata cães "há muitos anos"

Associação de resgate de galgos diz que realizou várias viagens para resgatar cães que estavam ao cuidado de João Moura e partilhou com os utilizadores algumas imagens chocantes de animais que estão ao seu cuidado.

Facebook Katefriends
Facebook Katefriends
Facebook Katefriends
Facebook Katefriends

A polémica em torno do cavaleiro tauromáquico João Moura parece estar longe do fim. Depois de ter sido detido por suspeita de maus tratos a animais e de ver 18 dos seus cães lhe serem retirados, a Katefriends — uma organização sem fins lucrativos que resgata e recuperacães da raça galgo – fez este sábado uma publicação onde denuncia estar a par dos maus tratos levados a cabo por João Moura e revela que tem vindo a resgatar animais desta raça aos cuidados do cavaleiro tauromáquico.

“Ficaram chocados com o que o João Moura fez a estes 18 galgos, lamento informar-vos mas há muitos anos que katefriends.com faz 500 km (…) para trazer bebés e adultos completamente anoréxicos deste senhor sempre neste estado”, começa por dizer a publicação partilhada no Facebook.

“Na maioria das vezes sobram poucos por terem morrido de fome, porque nem sempre posso largar a minha vida profissional e sair a correr como gostaria. Houve até vezes, na impossibilidade de me deslocar, voluntários trazerem-nos para a katefriends.com para evitar mais mortes. O pior, e parece que ninguém se lembra, é que existem imensos, tantos que nem imaginam ‘Joões Mouras’ no nosso país”, acrescenta a associação, realçando que “tudo isto se deve apenas, por ainda não terem PROIBIDO as corridas de galgos em Portugal, devido a interesses económicos e políticos relacionados com este lobby, apesar das denúncias”.

“Enquanto o estado Português e todos os cidadãos, não se consciencializarem que esta chacina só vai acabar quando as corridas forem proibidas, nada vai mudar, pois o João Moura até pode ir preso mas os outros continuam a usar e deitar fora os galgos”, refere a publicação.

A associação pede que os utilizadores assinem uma petição, a "única petição existente em Portugal", para que se proíbam as corridas de galgos, juntamente com "todo este sofrimento” e deixa imagens chocantes de animais que ficaram ao seu cuidado.

Recorde-se que o cavaleiro tauromáquico foi constituído arguido, esta quarta-feira, por deixar subnutridos 18 cães de raça galgo. No mesmo dia foi libertado com o Termo de Identidade e Residência. Um dos animais acabou por não resistir à falta de nutrientes e morreu na quinta-feira.

"Alguns estavam magros, mas não os tratei mal", disse João Moura, em sua defesa, em declarações ao jornal O Farpas. "Agora vão instruir o processo e vai seguir para a frente. Já prestei as minhas declarações e estou em casa tranquilo e com a consciência tranquila. Não matei ninguém, não roubei ninguém, não tratei mal os meus cães", acrescentou.