Vida

Quintino Aires arrasa Marcelo Rebelo de Sousa

“Eu não quero no meu país um Presidente que se cala perante a vergonha que aqui passamos"

Quintino Aires deixou duras críticas a Marcelo Rebelo de Sousa, esta quinta-feira, devido ao silêncio do Presidente da República perante o caso ocorrido após o funeral de uma das três vítimas do acidente na 2ª circular, na passada sexta-feira, quando um agente da Polícia de Segurança Pública (PSP) foi cercado e insultado por amigos da vítima.

“Várias vezes fui falando quanto me entusiasmava com o desempenho de Marcelo Rebelo de Sousa como Presidente da República (...) Nunca irei votar no professor Marcelo Rebelo de Sousa e considero isto o maior indicador”, começou por dizer o psicólogo, durante a rubrica Crónica Criminal, do programa Você na TV, da TVI.

“Eu não quero no meu país um Presidente que se cala perante a vergonha que aqui passamos. O que nos aqui vimos foi a polícia que é o Estado, que é quem nos representa a fugir (...) este comportamento e o silêncio de Marcelo Rebelo de Sousa faz com que seja impossível eu aceitar na minha cabeça que ele volte a ser Presidente desta República”, acrescentou.

“Este é o resultado da ação dele, que a mim me entusiasmou pelo afeto, mas que agora mostrou que é completamente enviesado. Eu não quero no meu país outra vez o Marcelo Rebelo de Sousa a ser Presidente e a agravar esta situação. Portanto, isto aqui tirou-me as dúvidas todas que eu pudesse ter de vir no futuro a votar no Marcelo Rebelo de Sousa”, rematou.

Também a advogada Suzana Garcia mostrou estar de acordo com o psicólogo e criticou a falta de uma “palavra de solidariedade” do chefe de Estado, mas também do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

Recorde-se que na terça-feira, dia do funeral de uma das três vítimas do acidente da Segunda Circular – que aconteceu na madrugada de sexta-feira –, um agente da PSP foi cercado e insultado por mais de uma dezena de motards, amigos da vítima.

O momento foi registado em vídeo e publicado ontem nas redes sociais. Nas imagens vê-se o agente, que estava sozinho, a correr para junto do carro, tendo sido depois cercado por várias pessoas, que o intimidavam de forma clara. No meio do barulho dos carros e das motas que estavam paradas na estrada, ouviam-se também vários insultos.

Veja aqui o momento ocorrido no programa da TVI.