Economia

Airbus anula dividendos e objetivos

A empresa anunciou também ter obtido uma nova linha de crédito para elevar a liquidez disponível a 30 mil milhões de euros contra 20 anteriormente.

A Airbus anulou o pagamento aos acionistas de dividendos de 2019 e as previsões de resultados para este ano, numa tentativa de atenuar o efeito da pandemia da covid-19.

O construtor afirmou ter “recebido o aval” do conselho de administração para “retirar a proposta de dividendos de 1,80 euros por ação, o que representa um valor total de cerca de 1,4 mil milhões”. 

A empresa anunciou também ter obtido uma nova linha de crédito para elevar a liquidez disponível a 30 mil milhões de euros contra 20 anteriormente.

"A nossa prioridade é proteger as pessoas, e ao mesmo tempo, apoiar os esforços mundiais para travar a propagação do coronavírus [SARS-CoV-2]. Queremos também garantir a segurança das nossas atividades para preservar o futuro da Airbus e retomar eficazmente as nossas operações depois da crise", declarou o presidente-executivo da empresa, Guillaume Faury, citado no comunicado.

Graças a estas decisões, "a empresa dispõe de liquidez suficiente para responder às necessidades de tesouraria suplementares relacionadas com a covid-19", precisou a Airbus, ao anunciar igualmente a suspensão do financiamento voluntários das reformas complementares.

"Anulámos as nossas previsões para 2020 devido à volatilidade da situação. Ao mesmo tempo, assumimos o compromisso de garantir a liquidez da empresa em qualquer momento, graças a uma política prudente. Estou convencido que a Airbus e o conjunto do setor aeronaútico e espacial vão ultrapassar este período crítico", acrescentou Faury.

A assembleia-geral da empresa vai decorrer em 16 de maio, em Amesterdão e a Airbus pediu aos acionistas para não estarem fisicamente presentes.