Economia

Covid-19. Plataformas de comércio online identificam milhões de anúcios fraudulentos

As plataformas online também garantiram estar a agir contra quem quer fazer negócio com o novo coronavírus, através da especulação de preços de produtos relacionados com a doença. As proibições temporárias à venda ou publicidade de produtos como máscaras faciais ou gel desinfetante vão manter-se como até aqui.

As plataformas de comércio online Amazon e eBay comunicaram à Comissão Europeia que removeram da rede milhões de anúncios fraudulentos ou enganosos relacionados com a pandemia de covid-19.

Bruxelas informou esta sexta-feira que o eBay estima já ter removido 600 mil anúncios falsos e eliminado 4,5 milhões de ofertas desde o início do surto. As medidas levaram à suspensão de mais de 2.700 vendedores inscritos naquela plataforma de comércio eletrónico

A Amazon também garantiu estar a efetuar uma “monitorização proativa” dos anúncios, e que está a “aplicar agressivamente as políticas de proteção dos utilizadores”. “Removemos centenas de milhares de ofertas a preços elevados com grande procura, removemos milhões de anúncios de produtos com falsas promessas sobre o novo coronavírus, suspendemos milhares de contas de vendedores que praticaram preços inflacionados”, adiantou a Amazon.

As plataformas online também garantiram estar a agir contra quem quer fazer negócio com o novo coronavírus, através da especulação de preços de produtos relacionados com a doença. As proibições temporárias à venda ou publicidade de produtos como máscaras faciais ou gel desinfetante vão manter-se como até aqui.