Sociedade

Mãe que deixou bebé no lixo acusada de tentativa de homicídio

Recorde-se que o bebé do sexo masculino foi encontrado por um sem-abrigo, nas imediações da discoteca Lux Frágil

O Ministério Público acusou de homícidio qualificado, na forma tentada, a mulher cabo-verdiana que abandonou o filho recém-nascido num caixote do lixo em Lisboa, em novembro de 2019.

A mulher, "grávida de 36 semanas, e em trabalho de parto, na madrugada de 4 de novembro de 2019, deslocou-se junto às imediações da discoteca 'Lux Frágil' onde deu à luz um bebé do sexo masculino", pode ler-se numa nota partilhada no site da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa.

A acusação defende que a arguida "colocou o recém-nascido dentro de um saco plástico, juntamente com os demais tecidos expelidos no momento do parto e colocou-o no interior de um ecoponto amarelo, abandonando, de seguida, o local". 

A mulher "ocultou sempre a sua gravidez" e "decidiu ter o seu filho sem qualquer assistência hospitalar e sem dar conhecimento a ninguém, sempre com o intuito de lhe tirar a vida imediatamente após o seu nascimento, escondendo de todos o que tinha feito", acrescenta.

Recorde-se que o bebé foi encontrado por um sem-abrigo, nas imediações da discoteca Lux Frágil, e encaminhado para uma unidade hospitalar, onde veio a recuperar.