Vida

Mulher espanhola de 113 anos é a mais velha a superar a covid-19

María Branyas vive em Girona

María Branyas é a mulher mais velha de Espanha. Agora, com 113 anos, tornou-se também a pessoa mais velha do mundo a superar a covid-19, avança a associação do Grupo de Pesquisa em Gerontologia de Olot.

María testou positivo para o novo coronavírus em abril, permanecendo isolada várias semanas no seu quarto, na residência de Santa Maria del Tura, em Olot, Girona. O centro onde vive registou vários casos e 17 mortes devido ao novo coronavírus.

Aos 113 anos, e após testar negativo, María assegurou que está "bem", com "os pequenos inconvenientes que todos podem ter", e sublinhou o tratamento dos profissionais da residência: "são muito gentis, muito atenciosos".

María, que nasceu em 1907, numa família catalã em San Francisco, Califórnia, mudou-se para a Catalunha ainda jovem e tem memórias da Segunda Guerra Mundial e da Guerra Civil Espanhola.

Em 1931, casou com Joan Moret, um médico de Llagostera (Girona), com quem teve três filhos e agora tem onze netos e treze bisnetos. 

A filha, Rosa Maria, não conseguiu ver sua mãe, mas falou com ela todos os dias e diz que é "calma e otimista". Quando confrontada com o segredo da longevidade da sua progenitora, disse apenas que é "ser uma pessoa saudável".