Sociedade

Portugal prolonga suspensão de voos para Itália até 15 de junho

O despacho admite exceções, além de voos de combate a incêndios, permite voos em “outros casos que não se integrem nas exceções” e que sejam “avaliados e decididos 'ad hoc' pela Autoridade Nacional da Aviação Civil.

A suspensão de voos para Itália foi prolongada pelo governo, pela quinta vez, por mais 14 dias, até 15 de junho, justificada por "cuidados excecionais" a ter com a situação pandémica no país, segundo um despacho publicado esta quarta-feira.

A suspensão de voos para Itália aconteceu pela primeira vez em 10 março, por 14 dias, e foi prorrogada por iguais períodos em 23 de março, 8 abril, 21 de abril, 6 de maio e hoje, com efeitos a partir das 00:00, de acordo com o despacho assinado na terça-feira pelos ministros da Defesa Nacional, da Administração Interna, da Saúde e pelo secretário de Estado Adjunto e das Comunicações.

“Atendendo a que a situação pandémica em Itália ainda continua a merecer cuidados excecionais, verifica-se que persistem os motivos subjacentes à suspensão em apreço, pelo que se impõe uma nova prorrogação”, diz o executivo no diploma.

O despacho admite uma nova exceção, além da dos voos das aeronaves que integram ou venham a integrar o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR), permitindo voos em “outros casos que não se integrem nas exceções” e que sejam “avaliados e decididos 'ad hoc', pela Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), sujeito ao parecer prévio da Direção-Geral da Saúde (DGS)”.