Economia

Crédito habitação. Avaliação dos bancos volta a subir

Depois da queda em março, o valor mediano com que os bancos avaliam as casas, no âmbito de pedidos de crédito habitação, subiu um euro para os 1111 euros por metro quadrado, em abril.

O valor mediano com que os bancos avaliam as casas, no âmbito de pedidos de crédito habitação, fixou-se em 1111 euros por metro quadrado em abril, divulgou esta quinta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE). Este valor representa um aumento de um euro em relação a março, o que s significa uma subida de 0,1% face a março deste ano e a um aumento de 9,5% em relação a abril de 2019.

No mês em análise, “o número de avaliações subjacente aos resultados apresentados diminuiu 12% face a março e 2% face ao mês homólogo”, acrescenta a nota do INE. Feitas as contas, foram realizadas cerca de 22 mil avaliações bancárias em abril.

Recorde-se que a avaliação bancária tinha caído, em março – mês em que foi decretado o estado de emergência em Portugal –, para os 1110 euros por metro quadrado, o que foi a primeira queda neste indicador em quatro anos, uma situação justificada pelo INE, na altura, com o impacto da pandemia de covid-19.

Em abril, a maior subida a nível regional, face ao mês anterior, registou-se na região autónoma dos Açores (+3,2%). A descida mais acentuada foi observada no Alentejo (-0,2%). Em comparação com o mesmo período do ano anterior, a taxa de variação homóloga mais elevada para o conjunto das avaliações verificou-se na área metropolitana de Lisboa (+11,0%) e a menor no Alentejo (0,0%).

No mês em análise, o valor mediano de avaliação bancária de apartamentos foi 1210 euros por metro quadrado, aumentando 10,3% relativamente ao mês homólogo. O valor mais elevado foi observado na área metropolitana de Lisboa (1490 euros) e o mais baixo no Alentejo (858 euros). O valor mediano da avaliação bancária das moradias foi de 939 euros por metro quadrado, em abril, o que representa uma subida de 6,7% em relação mesmo mês do ano anterior. Os valores mais elevados observaram-se no Algarve (1602 euros) e na área metropolitana de Lisboa (1462 euros), tendo o Alentejo registado o valor mais baixo (763 euros).