Economia

Altice. Receitas deslizam 0,9% para 1021 milhões no 1.º semestre

Queda é justificada pela pandemia, mas a operadora diz que investimento continuou a subir e aumentou 21,8 milhões de euros. Empresa antecipou a meta da expansão da rede de fibra a 5,3 milhões de casas.

As receitas da Altice Portugal caíram 0,9% no primeiro semestre, face a igual período de 2019, para 1021,8 milhões de euros. A operadora explica que, esta queda, deve-se ao impacto provocado pela pandemia no segundo trimestre, lembrando que “nos primeiros três meses do ano foram marcados por um crescimento de 2,6% face a igual
período do ano anterior”, disse em comunicado. 

O EBITDA fixou-se nos 411,4 milhões de euros na primeira metade do ano, registando uma diminuição (-2%) quando comparado com o mesmo período do ano anterior (419,8 milhões de euros). 

“A performance do EBITDA acompanhou a evolução da receita e foi igualmente impactado pelos efeitos negativos da pandemia no 2.º trimestre deste ano, uma vez que no 1.º trimestre de 2020 este indicador cresceu +1,8% face a igual período do ano anterior”, salienta a empresa liderada por Alexandre Fonseca.

A empresa revela ainda que, apesar da pandemia, o investimento continuou a crescer e subiu 21,8 milhões de euros, atingindo o montante de 218,2 milhões de euros, o que representa um crescimento de 11,1% face à primeira metade do ano anterior (196,4 milhões de euros). “Mesmo em contexto económico adverso, a Altice Portugal manteve inalterada a sua estratégia de forte investimento no país e no setor, continuando a aposta na expansão da infraestrutura de fibra, reforço na inovação tecnológica e na diversificação do portfólio de produtos e serviços”, refere a empresa.

A operadora recorda também que a meta definida para 2020, de alcançar as 5,3 milhões de casas e empresas passadas com fibra ótica, foi atingida já no 2º trimestre do ano. 

Subida

No 2.º trimestre, as adições líquidas dos três principais serviços do negócio fixo e convergente – voz, banda larga e TV – atingindo um total de 42 mil, “mantendo a rota de crescimento sustentado e consecutivo a cada trimestre, desde o ano anterior (+26 mil no 2.º trimestre de 2019, +38 mil no 3.º trimestre de 2019, +28 mil no 4º trimestre de 2019, +37 mil no 1.º trimestre de 2020 e finalmente +42 mil no 2.º trimestre de 2020)”, salienta em comunicado.

No negócio móvel, a empresa manteve “uma evolução consistente do crescimento da base de clientes pós-pagos, apresentando evoluções trimestrais consecutivas (+64 mil no 2.º trimestre de 2019, +56 mil no 3.º trimestre de 2019, +42 mil no 4.º trimestre de 2019, +52 mil no 1.º trimestre de 2020 e finalmente +48 mil no 2.º trimestre de 2020)”.

No entender da operadora, estes números “reforçam a resiliência e a sustentabilidade da atividade operacional de ambos os segmentos (residencial e empresarial) que resultou na continuidade da liderança na captação do crescimento do mercado. No agregado do mercado, uma vez mais, a Altice Portugal liderou a conquista de novos clientes, capturando 52% das novas adesões no serviço de televisão e 42% do negócio móvel pós-pago”.