Internacional

Educadora condenada à morte na China após envenenar 25 crianças por vingança

Mulher queria vingar-se de um colega de trabalho. Em 2017 também já tinha envenenado o marido.

Uma educadora de infância chinesa foi condenada à pena de morte por ter envenenado 25 crianças no infantário onde trabalhava, uma dos quais morreu.

O Tribunal Intermédio da cidade de Jiaozuo, na província de Henan, centro da China, deu como culpada Wang Yun, que colocou, em março de 2019, nitrito de sódio nas papas de aveia de mais de duas dezenas de crianças de uma sala do infantário que não era a sua.

O objetivo de Wang Yun era o de vingar-se da colega, educadora das crianças envenenadas, com quem tinha tido uma discussão sobre assuntos de trabalho, escreve a BBC.

Sublinhe-se que o nitrito de sódio é uma substância química utilizada na conservação de carnes, mas quando ingerida em estado puro é tóxico.

Para o tribunal, que sentenciou a arguida à pena de morte, Wang sabia quais as consequências da substância e mesmo assim colocou-a na comida das crianças.

Para a sua sentença também terá contribuído o facto de esta não ter sido a primeira vez que a educadora envenenava alguém. Em 2017 fez o mesmo ao marido, após uma disputa conjugal.