Sociedade

Marcelo avisa que pode ser preciso “repensar o Natal em família”

Questionado sobre a aplicação de eventuais medidas para conter a pandemia, Marcelo destacou que o Governo está a trabalhar nesse sentido, mas ressalvou que “não vale de nada ter medidas se as pessoas não levarem a sério a situação".

Marcelo Rebelo de Sousa pediu à população, esta sexta-feira, que faça um “esforço” para cumprir as medidas impostas no âmbito da pandemia e admitiu que é preciso “repensar” programas de convivência social, nomeadamente o Natal.

 “Há aqui um esforço que as pessoas têm de fazer para que as medidas que venham a ser adotadas, sejam verdadeiramente cumpridas”, disse o Presidente da República, à margem de uma visita ao Hospital de Braga.

“Para não parar a sociedade e a economia, o que nenhum de nós quer, para não aumentar o desemprego, é preciso que se faça um esforço na convivência entre pessoas e que pensem o que é que isso significa”, afirmou Marcelo. “É preciso repensar o Natal em família repensa-se, não pode ser com 50, 40, 30, pessoas divide-se”, acrescentou.

O chefe de Estado lembra que vivemos um “período de risco”, que se irá prolongar, e que com precaução adicional podemos tornar “mais fácil a evolução exterior”.

“É preciso repensar programas que se tem com os amigos ou convivência social, é preciso ter uma precaução adicional neste que é um período de risco, que estamos vier e vamos viver, vamos fazer esse esforço e assim estamos a tornar mais fácil a evolução exterior”, considerou.

Questionado sobre a aplicação de eventuais medidas para conter a pandemia, Marcelo destacou que o Governo está a trabalhar nesse sentido, mas ressalvou que “não vale de nada ter medidas se as pessoas não levarem a sério a situação”.

“Não é dramatizarem excessivamente mas é não desdramatizarem uma situação que é preocupante”, disse. “Temos a noção que isto pode ser não um dia, não uma semana, mas semanas ou meses”, rematou.