Sociedade

Aluno suspenso de escola em Sintra por partilhar lanche com colega

Ficou impedido de entrar no espaço escolar na terça-feira. Situação foi denunciada nas redes sociais.

Um aluno do Agrupamento de Escolas Escultor Francisco dos Santos, em Rio de Mouro, no concelho de Sintra, foi suspenso por um dia depois de ter sido visto a partilhar o lanche.

“Nos termos da alínea b) do nº 2 do artigo 28º do Estatuto do Aluno [e Ética Escolar] (EAEE), na redação da Lei 51/2012 de 5 de setembro, considero como muito grave a atitude do aluno, pelo facto de o aluno estar a partilhar lanche com os seus colegas, numa altura em que todos estão informados de que isso coloca em perigo o bem-estar de todos”, segundo o documento da escola (ver imagem na galeria), que informa do castigo e que foi partilhado pela página do Facebook Jornalistas pela Verdade, que denunciou a história nas redes sociais.

“Uma vez que se procura incutir atitudes de respeito para com os outros e responsabilidade pelas atitudes tomadas numa época em que temos de cumprir todas as regras, decreto a aplicação da medida sancionatória de suspensão da frequência das atividades letivas de um dia. Esta medida será cumprida no dia 13 de outubro de 2020, pelo que não poderá entrar no espaço escolar durante esse dia”, lê-se ainda no documento.

O SOL tentou contactar o Agrupamento de Escolas Escultor Francisco dos Santos, porém, sem sucesso.

Na página do Facebook que denunciou a situação podia ler-se que o aluno em causa estaria a partilhar uma sanduíche com um colega, depois de este lhe ter confidenciado que ainda não tinha comido nada. No entanto, fonte próxima do processo afirmou ao Observador que os alunos “estavam todos a beber do mesmo sumo, não estavam a matar a fome a ninguém”.

Informação, entretanto, confirmada pelo vice-presidente da autarquia, ouvido pela Rádio Observador. “Eles estavam todos a beber do mesmo sumo, não estavam a matar a fome a ninguém. Estavam a partilhar o lanche, bebendo da mesma embalagem, comendo e mordiscando a mesma sandes, juntos sem máscaras”, adiantou.

Sublinhe-se que a Direção-Geral da Saúde (DGS), no âmbito da pandemia de covid-19, recomenda evitar-se os contactos entre criança e jovens em contexto escolar, assim como a partilha de objetos entre os alunos.