Desporto

Benfica. O último mandato do eterno presidente?

Luís Filipe Vieira formalizou na quarta-feira a candidatura à presidência do Benfica para o quadriénio 2020-2024, eleições às quais concorre a um sexto mandato. Aos 71 anos conta com 17 na liderança do clube da Luz: «Não vale a pena estar aqui a fazer promessas do que vamos fazer ou não vamos fazer. A obra está à vista e toda a gente a conhece». A aposta na vertente desportiva será prioridade.

Outubro de 2003: o novo estádio do Benfica viu a Luz do dia. Julho de 2006: lançamento do novo Kit Sócio, campanha de angariação de associados que conduziu o clube a uma marca inédita. Setembro de 2006: inauguração do Benfica Campus - Centro de Estágio e Formação dos encarnados no Seixal. Dezembro de 2008: arranque das transmissões regulares da então Benfica TV (atual BTV), projeto pioneiro e inovador que pretendia fazer chegar aos adeptos toda a informação sobre o clube. Janeiro de 2009: criação da Fundação Benfica, a instituição de solidariedade social das águias, que atua em diversas áreas da sociedade, com destaque para o apoio de crianças em contextos sociais adversos. Julho de 2013: nascimento do Museu Benfica – Cosme Damião. Maio de 2015: contrato de patrocínio com a Emirates, um dos grandes passos na internacionalização da marca Benfica - sete meses depois era anunciado um acordo com a NOS para a venda dos direitos de transmissão televisiva dos jogos do Benfica em casa a partir de 2016/17. Maio de 2017: conquista do inédito tetracampeonato. Julho de 2019: Benfica protagoniza a maior transferência de sempre de um jogador português com a venda de João Félix ao Atlético de Madrid (126 milhões de euros), batendo o recorde que pertencia a Cristiano Ronaldo. Já no último mês de setembro, o clube da Luz voltou a estar em destaque no mercado, desta vez com a saída de Rúben Dias para o Manchester City, por 68 milhões de euros, naquela que se trata da segunda maior transferência de sempre das águias e do campeonato português. Agosto de 2020: Regresso de Jorge Jesus ao Benfica, treinador que havia feito furor na sua primeira passagem pelas águias, tendo sido o comandante encarnado na conquista dos primeiros 50% do registo histórico das quatro vitórias consecutivas na Liga portuguesa.

Numa linha cronológica, os pontos acima mencionados representariam indiscutivelmente as grandes obras esculpidas por Luís Filipe Vieira nos 17 anos que conta na presidência do Benfica. Aos 71 anos, Vieira pretende ser reeleito para mais um mandato (até 2024), o seu último à frente do clube, diz. «Tenho 71 anos, tenho a quarta classe, não falo inglês. Estou aqui para anunciar que me recandidato à presidência do Benfica e também para dizer que este será o meu último mandato», afirmou, há cerca de duas semanas, durante a cerimónia de apresentação da sua candidatura. «Não é o fim de um ciclo, é a continuação de um ciclo de sucesso», assegurou. Um ciclo que conta já com quase duas décadas.

 

Leia o artigo na íntegra na edição impressa do SOL. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.