Sociedade

PJ faz buscas a organismos públicos por causa da declaração de impacto ambiental de aeroporto do Montijo

Escritório de advogados da Grande Lisboa também terá sido alvo de buscas. Em causa estarão crimes de falsificação de documentos, abuso de poder e corrupção.

A Polícia Judiciária realizou, esta quinta-feira de manhã, buscas na Agência Portuguesa do Ambiente e no Instituto de Conservação da Natureza. Em causa está a declaração de impacto ambiental do futuro aeroporto do Montijo.

A notícia foi avançada pela revista Sábado, que dá conta de que um escritório de advogados da Grande Lisboa também foi alvo de buscas.

As buscas terão sido levados a acabo no âmbito de uma investigação de crimes de falsificação de documentos, abuso de poder e corrupção relacionadas com a declaração de impacto ambiental em relação ao aeroporto do Montijo.

Sublinhe-se que o documento foi emitido pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), que deu luz verde ao projeto, em janeiro passado.

A declaração aprovava a transformação parcial da base militar do Montijo num aeroporto complementar que serviria a região de Lisboa. Mas obrigava a contrapartidas, como forma de compensação de eventuais danos ambientais, medidas de um valor que ascendia a cerca de 48 milhões de euros.

Assim que foi emitida, a declaração foi alvo de várias críticas e oito associações ambientais fizeram saber que iriam recorrer à justiça para travar o projeto.