Sociedade

Ministro diz que "escolas não são focos privilegiados de propagação" e insiste nas aulas presenciais

"O ensino presencial tem que continua a acontecer", defendeu Brandão Rodrigues.

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, vê como prioridade as escolas manterem o ensino presencial, apesar do aumento dos números de casos de covid-19. "As escolas não são focos privilegiados de propagação da doença", sublinhou na comissão parlamentar de Educação, esta sexta-feira.

Mesmo quando questionado sobre a adoção do ensino misto nos concelhos com mais transmissão, o ministro não se comprometeu: "O ensino presencial tem que continua a acontecer", disse. "Temos que continuar a aposta", acrescentou.

Por outro lado, Tiago Brandão Rodrigues garantiu que até dia 15 de novembro serão distribuídos os primeiros 100 mil computadores aos alunos abrangidos pela ação social escolar nas escolas TEIP, para que no caso de ter de se recorrer às aulas à distância os alunos tenham os meios para o fazer.