Sociedade

Autarcas autorizam realização de feiras na região Norte

Concelhos com maior incidência de casos, desde logo Paços de Ferreira, vão continuar a ter feiras.


Depois de o Governo ter recuado na proibição de feiras e mercados de levante nos concelhos com maior incidência de covid-19, a partir de hoje sujeitos a novas medidas para travar a pandemia, vários autarcas de concelhos da região Norte, incluindo Paços de Ferreira, com maior incidência de casos de covid-19 por 100 mil habitantes a nível nacional, anunciaram a realização dos mercados habituais, com regras de segurança.

Questionada sobre se, atendendo à situação epidemiológica em Paços de Ferreira e à situação de sobrecarga que se vive no Hospital de Penafiel, a autoridade de saúde autorizou as feiras neste concelho e nos concelhos limítrofes, onde de resto haverá um dever de permanecer em casa, a DGS respondeu que “de acordo com as medidas covid-19 para os concelhos com risco elevado, estão proibidas as feiras e mercados de levante, salvo autorização emitida pelo presidente da câmara municipal, caso estejam verificadas as condições de segurança e o cumprimento das orientações definidas pela DGS”. Os autarcas têm garantido que essas regras serão cumpridas e os feirantes saudaram a decisão, e apenas o concelho de Vizela, que de acordo com os últimos dados disponibilizados pela DGS estava também entre os concelhos da região Norte que tinham maior incidência no país, recusou a realização de feiras. Ao i, a DGS confirmou que Paços de Ferreira continua a ser o concelho com maior incidência cumulativa a 14 dias por 100 mil habitantes, mantendo uma tendência crescente na última semana. Esta semana, a DGS ainda não disponibilizou dados por concelho que permitam comparar a evolução nos diferentes municípios e o mapa apresentado pelo Governo indica incidências superiores às que podiam ser calculadas com a informação disponibilizada pela autoridade de saúde na última semana. Os dados da DGS por concelho só contemplavam as notificações feitas por médicos, e não dos laboratórios, contendo 65% dos casos reportados na semana anterior. Só com estes dados, havia 46 concelhos acima do patamar dos 240 casos por 100 mil habitantes nos 14 dias anteriores, e não os 121 que a partir de hoje têm novas medidas e que coincidem quase na totalidade com aqueles em que se podia calcular uma incidência superior a 120 casos por 100 mil habitantes. Em Paços de Ferreira, a incidência era, na altura, de 1951 casos por 100 mil habitantes. Sem adiantar números, a DGS confirmou ao i que Paços de Ferreira continua a ser o concelho com maior incidência cumulativa a 14 dias por 100 mil habitantes. “A tendência continua a ser crescente quando comparada com os últimos sete dias”.

Calculando a incidência por 100 mil habitantes a partir dos novos casos divulgados pela DGS para as diferentes regiões, a região Norte mantinha-se ontem com uma incidência superior à do resto do país. Nos últimos 14 dias, em que foram reportados 45 707 casos de covid-19 no país, a incidência de novos casos a nível nacional situou-se em 444 por 100 mil habitantes. A região Norte registava ontem uma incidência de 732,7 casos por 100 mil habitantes a 14 dias e de 383 casos por 100 mil habitantes nos últimos sete dias. A região de Lisboa, a segunda com mais novos casos, regista uma incidência de 356,3 novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias e de 199 casos por 100 mil habitantes a sete dias.