Economia

Concorrência autoriza Grupo Bel a comprar 40% da Global Media

Entidade Reguladora para a Comunicação Social também não vai opor-se ao negócio.

A Autoridade da Concorrência (AdC) não se opôs à entrada do Grupo Bel, do empresário Marco Galinha, na Global Media, detentora do Diário de Notícias, Jornal de Notícias, TSF, entre outros.

“Em 3 de novembro de 2020, o Conselho de Administração da Autoridade da Concorrência, no uso da competência que lhe é conferida […] delibera adotar uma decisão de não oposição à operação de concentração […] uma vez que a mesma não é suscetível de criar entraves significativos à concorrência efetiva no mercado nacional ou numa parte substancial deste”.

Também a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) tinha garantido não se opor a esta operação.

“O Conselho Regulador da ERC não se opõe à operação de concentração notificada, por não se concluir que tal operação coloque em causa os valores do pluralismo e da diversidade de opiniões, cuja tutela incumbe à ERC acautelar”, lê-se no site do regulador dos media.

Acrescenta ainda a ERC que, o DN “optou em 2019 por uma nova fórmula: passou a publicar-se em meio digital todos os dias, em papel transformou-se semanário ao domingo (transitando depois para o sábado), o que veio a permitir que no papel a concorrência diária melhorasse as suas vendas”. Na opinião do regulador, este foi “um marco histórico negativo no jornalismo português”.

Tal como o SOL tinha anunciado, em primeira mão, na sua edição de 18 de julho, o empresário Marco Galinha comprou 40% do grupo de comunicação social Global Media. O negócio ficou fechado por quatro milhões de euros.

Marco Galinha fica agora no controlo das participações da Global Media até aqui detidas pelo BCP (cerca de 30%) e pelo Novo Banco (que detinha 10,5% da empresa).