Sociedade

Sindicato condena ameaças feitas a jornalistas durante manifestação no Rossio

A Polícia de Segurança Pública viu-se obrigada a retirar os profissionais do local de modo a garantir a sua segurança

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) condenou as ameaças feitas a jornalistas que estavam a fazer a cobertura a manifestação dos empresários da restauração que decorreu no passado sábado no Rossio.

O episódio aconteceu depois de um dos oradores na manifestação ter criticado uma notícia publicada no Observador, que referia a presença de 200 manifestantes na Praça do Rossio. “Isto parecem 200 pessoas? Isto parecem 200 pessoas aqui? Isto parece 200 pessoas?” – questionou insistentemente o orador. Sublinhe-se que a notícia tinha sido publicada algum tempo antes, tendo a informação ficado apenas desatualizada. Depois da crítica, mais de uma dezena de manifestantes cercaram a equipa da Rádio Observador, obrigando a PSP a intervir.

Mais tarde, o SJ emitiu um comunicado onde se podia ler que apesar dos “tempos difíceis", a "insegurança ou a revolta não podem justificar nunca ameaças aos jornalistas, que estão no desempenho da sua missão de informar. De resto, não fossem os jornalistas e os protestos não teriam eco na população”.

O sindicato “insta a direção do Observador a agir em conformidade” e a apresentar queixa às autoridades. É ainda feito um apelo à PSP para que “atue em conformidade em relação a quem ameaça, na medida em que este episódio configura um crime público”.