Economia

Estudo. Empregados em teletrabalho devem pagar mais impostos

"Os trabalhadores remotos deveriam pagar um imposto pelo privilégio", diz estudo do Deutsche Bank.

Um estudo do Deutsche Bank defende que empregados em teletrabalho devem pagar mais impostos. "Trabalhar em casa fará parte do ‘novo normal’ bem depois da pandemia", dizem os analistas e defendem: "os trabalhadores remotos deveriam pagar um imposto pelo privilégio."

A equipa propõe uma taxa de 5% para pessoas que trabalham em casa regularmente e não por causa da medida de quarentena imposta pelos governos. A implementação do imposto poderia arrecadar 48 mil milhões de dólares por ano nos EUA e cerca de 16 mil milhões de euros na Alemanha. 

O imposto proposto seria pago pelo empregador caso a empresa não forneça uma mesa ao empregado, ao passo que se o trabalhador decidir ficar em casa com base nas suas próprias necessidades seria tributado por cada dia de trabalho remoto, de acordo com o o Deutsche Bank.

Feitas as contas, nos Estados Unidos, esse imposto poderia pagar um subsídio de 1500 dólares aos 29 milhões de trabalhadores que ganham menos de 30 mil por ano e não podem trabalhar de casa.