Sociedade

Casal e filho acusados de escravizar 14 pessoas em plantações agrícolas de Espanha

Trabalhadores ficaram alojados num armazém agrícola, numa garagem, num curral e numa pocilga.

Um casal e o filho estão acusados de escravizar pelo menos 14 pessoas em explorações agrícolas de Espanha durante cinco anos, entre 2011 e 2016. A acusação está a ser conduzida pelo Departamento de Investigação e Ação Penal do Porto (DIAP), que foi divulgada esta terça-feira em despacho.

“O Ministério Público considerou indiciado que de 2011 a 30 de agosto de 2016, arguidos e arguida levaram de Portugal para Espanha (para La Rioja e Léon), para trabalhar em explorações agrícolas, pelo menos 14 pessoas, algumas das quais por mais que uma vez”, diz uma nota da Procuradoria-Geral Regional do Porto, numa síntese da acusação.

Os trabalhadores escravizados em La Rioja foram alojados num armazém agrícola e em Léon foram distribuídos por uma garagem, um curral e uma pocilga, adianta o despacho de acusação emitido pela 10ª secação o DIAP do Porto.