Internacional

Nicolas Sarkozy será julgado por corrupção a partir de segunda-feira

O antigo Presidente francês pode enfrentar 10 anos de prisão e pesadas coimas, caso seja condenado.

O ex-presidente francês Nicolas Sarkozy irá apresentar-se perante os tribunais na próxima segunda-feira, acusado de corrupção e tráfico de influência. 

A investigação foi lançada em 2012, quando o jornal Mediapart publicou um documento indiciativo que o regime do ex-Presidente líbio Muhammar Kadafi tinha financiado a campanha de Nicolas Sarkozy. Em 2019, declarou-se “totalmente inocente”, e em outubro deste ano voltou a apresentar-se perante os juízes responsáveis pela investigação.

Sarkozy, Thierry Herzog e Gilbert Azibert são acusados de corrupção e tráfico de influência. Os últimos dois enfretam ainda acusações de violação de segredos profissionais. Os três arriscam 10 anos de prisão e pesadas coimas, caso venham a ser condenados.

Em declarações ao jornal Observer, Fabrice Arfi, jornalista do Mediapart, disse que “este é um julgamento histórico para a justiça na França, uma vez que é a primeira vez que um presidente irá ser julgado em tribunal acusado de corrupção. É crucial e provavelmente o maior teste no país à anti-corrupção que os juízes já tiveram”.

Nicolas Sarkozy está também envolvido no chamado caso “Bygmalion”, aparecendo provavelmente em tribunal no próximo ano, acusado de gastar em demasia na sua campanha de re-eleição em 2012.

Sarkozy está envolvido em vários polémicos casos, desde a alegada tentativa de suborno a um magistrado para que o mesmo lhe entregasse informações de uma investigação contra o líder francês, até ao alegado uso de comissões sobre vendas de armas ao Paquistão para financiar a campanha de Edouard Balladur, nos anos 90.