Sociedade

Conselho de Ministros aprova luto nacional por Eduardo Lourenço

Conselho de Ministros olha para obra de Eduardo Lourenço como essencial para "compreender a história e o presente de Portugal"


Como forma de homenagear o ensaísta Eduardo Lourenço, que morreu esta terça-feira aos 97 anos, o “Conselho de Ministros aprovou hoje, por via eletrónica, o decreto que declara o dia 2 de dezembro de 2020 como dia de luto nacional”, pode ler-se num comunicado divulgado hoje no site do Governo.

“Cidadão de elevadíssima craveira intelectual e cívica, Eduardo Lourenço dedicou-se empenhadamente a pensar o país, tendo integrado em 2016 o Conselho de Estado, designado pelo Presidente da República”, distingue ainda a nota, que categoriza Eduardo Lourenço como “um dos mais destacados pensadores da cultura portuguesa contemporânea”, cuja obra abrange “marcos incontornáveis para todos quantos querem compreender a história e o presente de Portugal”.

Recorde-se que hoje o primeiro-ministro, António Costa, já tinha dito nas comemorações do 1º de dezembro que seria decretado luto nacional pelo professor, ensaísta e filósofo.