Sociedade

Os concelhos onde a pandemia está pior

São 26, com destaque no Alentejo. No Norte, tudo mudou.

Depois de semanas em que a região Norte dominou o mapa dos concelhos com maior incidência de covid-19, a última avaliação da DGS, publicada ontem, mostra já um retrato diferente. Entre dia 7 e dia 20, o período analisado para calcular a incidência de novos casos por 100 mil habitantes, Vimioso (Bragança) foi o concelho com maior nível de contágio. Mas em segundo e terceiro lugar surgem Castelo de Vide e Marvão, depois de a pandemia ter alastrado no Alentejo. São ao todo 26 os concelhos que se mantêm no patamar de risco extremamente elevado, com mais de 960 casos por 100 mil habitantes. Tanto Vimioso como Castelo de Vide e Marvão, seguindo-se Mourão e Penamacor, estão acima dos 2 mil casos por 100 mil habitantes. No top-10 de concelhos com maior nível de contágio entram ainda Tabuaço, Gavião, Mora, Chaves e Mondim de Basto.

O Porto regista agora uma incidência de 528 casos por 100 mil habitantes, quando chegou a superar os 1000. São ainda mais do que Lisboa (509), mas a diferença já não é grande. E em Penafiel, no coração da explosão de casos que se viveu no Vale do Sousa, que deixou o hospital Padre Américo em rutura, verificaram-se neste último período analisado 507 casos por 100 mil habitantes. O melhor exemplo é Paços de Ferreira: durante semanas foi o concelho do país com maior nível de contágio e bateu recordes da segunda vaga: chegou a superar os 4 mil casos por 100 mil habitantes na análise a 14 dias e regista, nestas duas últimas semanas analisadas, 395 casos por 100 mil habitantes, o que noutras alturas seria suficiente para levantar medidas. No fim do ano, o Governo impôs proibição de circulação na via pública em todo o país.