Economia

5G: 2021 é o ano

A pandemia provocou alguns atrasos no calendário do 5G em Portugal, mas tudo indica que 2021 será o ano em que o país poderá contar com esta nova tecnologia. Mas ainda faltam alguns passos.


A implementação da rede móvel 5G em Portugal contou com alguns atrasos e as principais operadoras portuguesas – Altice, Vodafone e NOS – não pouparam nas críticas. Tudo indica que 2021 será o ano das decisões e, apesar de terem ameaçado não ir a leilão, todas as operadoras parecem ter dado um passo atrás e o 5G já tem novo calendário. O processo de migração de TDT – que permite a implementação do 5G – já terminou e, de acordo com o calendário, está prevista a atribuição de licenças durante o primeiro trimestre do próximo ano.

O presidente da Anacom assegurou que o leilão «está a decorrer de acordo com o calendário», garantindo que o processo estará concluído já no primeiro mês de 2021, criando condições para o lançamento das primeiras ofertas comerciais no primeiro trimestre. «Terminou há uns dias a entrega das candidaturas. Fizemos também, entretanto, o trabalho de verificar a qualificação dos candidatos. Entrámos agora na fase seguinte, a fase das licitações, que decorrerá em duas fases: uma fase para os novos entrantes e, depois, a fase de licitação principal», disse João Cadete de Matos.

O responsável conta que, durante o mês de janeiro, o leilão possa estar concluído e, «a partir daí, fazer todos os procedimentos de atribuição dos direitos e, durante o primeiro trimestre, as empresas vencedoras tenham as licenças atribuídas e estejam em condições de desenvolver os seus negócios com base nessas licenças».
 No final deste ano, a Anacom invocou «interesse público» para travar «tentativas de adiamento» do leilão do 5G depois de MEO, NOS e Vodafone recorrerem aos tribunais para tentarem suspender o leilão.

2021 será o ano do 5G: «Estamos a fazer tudo para que seja concluído o mais rápido possível».