Sociedade

Ordem dos Advogados quer que MP investigue caso do procurador europeu José Guerra

Ordem dos Advogados vai avançar com participação criminal.


A Ordem dos Advogados (OA) informou esta quarta-feira em comunicado que vai avançar com uma participação criminal no âmbito da nomeação de José Guerra como Procurador Europeu, que apresentou um currículo com informações falsas, recorde-se.

O Bastonário da Ordem dos Advogados, Luís Menezes Leitão, pediu ao Ministério Público que investigue o caso por ser um “assunto de extrema gravidade que não pode ficar encerrado com a simples declaração de que se tratou de lapso dos serviços do Ministério da Justiça”, uma vez que pode estar em causa a “eventual prática de ilícitos criminais como abuso de poder e falsificação de documentos”, refere a nota enviada às redações.

Para a Ordem dos Advogados, é essencial que seja aberto um inquérito criminal “a bem da Justiça, da Legalidade, e do Estado de Direito em Portugal e na Europa”, para que não se crie “um grave desprestígio, não só das instituições portuguesas, mas também das próprias instituições europeias”. Para a OA estes “os indícios de irregularidades e falsas informações” podem mesmo colocar em causa “a regularidade da nomeação do procurador português na Procuradoria Europeia”.