Desporto

"Quando se levantou, caiu-me nos braços", recorda colega de equipa de Paulo Diamantino

Paulo Diamantino morreu na sexta-feira, depois de cair inanimado em campo durante um jogo de basquetebol.

DR  

Paulo Diamantino, do Mirandela Basquetebol Clube, morreu esta sexta-feira, aos 36 anos, depois cair inanimado em campo durante um jogo frente ao Juventude Pacense, em Paços de Ferreira. Francisco Valfreixo, colega de equipa, recordou o momento que deixou todos em choque.

"Começou o jogo no banco e, quatro ou cinco minutos antes de acabar o primeiro período, entrou e ninguém notou nada de anormal", disse Francisco Valfreixo, em declarações ao Jornal de Notícias.

"Deu indicações e, quando acabou o intervalo, levantou-se para voltar ao jogo, mas disse a outro atleta para entrar no seu lugar porque estava a sentir uma quebra de tensão. Quando se levantou, caiu-me nos braços. Foi uma imagem terrível", acrescentou, explicando que Paulo Diamantino entrou em paragem cardiorrespiratória e ainda foi socorrido, mas sem sucesso.

"Estava lá um enfermeiro, fez o suporte básico de vida enquanto não chegou o INEM e, depois, tentaram com o desfibrilhador, com o oxigénio, com as injeções de adrenalina, mas já não havia mais nada a fazer", recordou Francisco Valfreixo.

De realçar que o FC Porto, onde Paulo Diamantino iniciou a sua carreira, e clube pela qual conquistou duas Taças de Portugal, endereçou sentidas condolências à família e amigos do atleta.