Sociedade

Marcelo lamenta morte de Quintana e destaca que "o andebol e o desporto português ficam mais pobres"

Presidente apresentou condolências à família do atleta. 


O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou, esta sexta-feira, a morte do guarda-redes de andebol do FC Porto e da seleção nacional, Alfredo Quintana.

“O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa lamenta a morte do guarda-redes da Seleção Nacional de Andebol, Alfredo Quintana. Quintana nasceu em Cuba mas naturalizou-se Português e granjeou um invulgar respeito e admiração entre os seus pares. Representava o Futebol Clube do Porto e a Seleção Portuguesa. O andebol e o desporto português ficam mais pobres com esta partida precoce que a todos consterna”, lê-se numa nota partilhada no site oficial da Presidência da República.

O chefe de Estado “apresenta à família enlutada, ao Futebol Clube do Porto e à Federação Portuguesa de Andebol as mais sentidas condolências”.

Recorde-se que o FC Porto confirmou hoje a morte do atleta, de 32 anos, que estava internado desde segunda-feira no Hospital de São João, no Porto, depois de ter sofrido uma paragem cardiorrespiratória durante um treino.

Alfredo Quintana nasceu em Cuba, mas tinha nacionalidade portuguesa. No total, somou 72 internacionalizações pela seleção portuguesa – a última das quais no último Campeonato do Mundo, no Egito, onde Portugal alcançou a sua melhor classificação de sempre (10.º lugar). O guarda-redes fez parte da equipa do FC Porto desde 2010, onde realizou 431 jogos.