Politica

Processo de vacinação tem tido "alguns reveses", mas é sobretudo "uma luz ao fundo do túnel"

A ministra confirmou ainda a continuação do programa de rastreios nas escolas, mas também noutras áreas de atividade, e a aposta do Governo nos testes rápidos, por exemplo, nas farmácias. 

A Ministra da Saúde, Marta Temido, admitiu, esta quarta-feira, que o processo de vacinação tem tido "alguns reveses", mas acima de tudo a “capacidade de constituir uma luz ao fundo do túnel”. 

"A concretizar-se [o plano de vacinação] permitirá, no final do verão, estarmos em muito melhor situação do que aquela em que estamos hoje, no combate à pandemia", disse a ministra, no Parlamento.

A governante quis ainda sublinhar aquela que considera ser uma das maiores conquistas do Executivo socialista: o reforço do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Um reforço que decorre "há mais de uma legislatura" e que se traduz "num investimento financeiro e em recursos humanos sem precedentes".

"Mas, o que vale essencialmente aqui sublinhar é aquilo que de facto vamos fazer para continuar a reforçar o SNS, não só através de recursos humanos, em geral, - cumprindo aquilo que tinha sido o quadro de referência de uma contratação de 8.400 profissionais de saúde num horizonte de dois anos que praticamente já ficou cumprido em 2020 -, mas também o facto de pretendemos continuar a acompanhar [esse reforço] no ano de 2021, concretamente com as questões relacionadas com a estabilidade dos vínculos de trabalho das pessoas a que correspondem as necessidades definitivas de serviço", assegurou.

A ministra confirmou ainda a continuação do programa de rastreios nas escolas, mas também noutras áreas de atividade, e a aposta do Governo nos testes rápidos, por exemplo, nas farmácias, promovendo o auto rastreio da população.  

"Acreditamos nesta combinação de medidas, na responsabilização dos cidadãos e na boa informação com os portugueses", conclui.