Internacional

"Gangue das top models". O grupo de mulheres com roupas de luxo que assaltava casas em Espanha

No início de abril, em Espanha, um grupo de 11 mulheres foi detido por se suspeitar que estas assaltavam propriedades nas zonas mais ricas do país. As mulheres, com uma média de idades de 25 anos, apresentavam-se com roupas de luxo, de forma a não levantar suspeitas nos bairros abastados.

 


O "gangue das top models", tal como lhe chamam as autoridades espanholas, faz-nos viajar até aos filmes de Hollywood. Contudo, estas onze mulheres da Croácia foram realmente detidas no início de abril, em Chamberí, um bairro rico de Madrid, suspeitas de realizar sete assaltos naquela zona.

Vestiam marcas de luxo, que muitas vezes seriam imitações, usavam salto alto, estavam completamente  produzidas e “deambulavam” pelos bairros ricos de Espanha, como se pertencessem àquele estilo de vida. Nos bolsos, onde normalmente se deveria encontrar, batom, rímel, carteira ou perfume, estavam as ferramentas que as ajudariam a entrar nas propriedades: chaves de fendas, tesouras e outros objetos. O objetivo era roubar dinheiro e jóias, já que num dos assaltos deixaram intactos os objetos tecnológicos.

Sabe-se que o esquema dura há pelo menos dez anos e que nenhuma das mulheres mora em Espanha. A polícia afirma que o grupo é um “clã familiar” e “devidamente hierarquizado”. Todas sabem qual o seu lugar dentro da organização e em cada assalto, desde a vigilância até à entrada nas casas. A patriarca que gere a organização permanece na Croácia e, é de lá que controla todos os movimentos. "Neste caso eram elas que chamavam menos a atenção para fazer este tipo de crimes", disse uma porta-voz da polícia espanhola, em declarações ao El País.

A investigação iniciou-se no final de 2020, depois da denúncia de pelo menos 30 assaltos em Chamberí. Todos os crimes eram idênticos. As mulheres, que andavam aos pares, foram avistadas pelas autoridades no início de março deste ano e apesar do "disfarce", a sua atitude era vigilante e evasiva.

Duas delas foram rapidamente identificadas e detidas, de seguida, juntaram-se mais nove suspeitas. Todas foram apanhadas em flagrante, ou por estarem a vigiar ou a abrir portas alheias. Pelas contas da polícia espanhola, algumas terão começado a praticar os assaltos ainda menores, uma das jovens nasceu em 1997 e quando tinha 14 anos esteve envolvida num assalto no bairro de Carabanche, em Madrid. 

Várias das detidas já tinham antecedentes pelo mesmo tipo de crime, mas a itinerância entre cidades espanholas, e mesmo as viagens entre a Croácia e a Espanha, dificultaram a sua descoberta. As onze mulheres estão agora em liberdade condicional.

Fontes policiais espanholas contaram à imprensa que aquele "é o seu modo de vida e estas não conhecem outra coisa" desde pequenas.