Economia

Incidentes de segurança notificados à Anacom caem 20% em 2020

É o valor mais baixo desde 2015, revela a Anacom.


O número de incidentes de segurança reportados à Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) no ano passado caiu 20% face a 2019, para 64. É o valor mais baixo desde 2015, anunciou o regulador.

Segundo a Anacom, da totalidade dos incidentes notificados no ano passado, 59% foram devidos a falha no fornecimento de bens ou serviços por terceiros, designadamente falhas no fornecimento de energia elétrica ou de avaria em circuitos alugados.

Destaque ainda para ocorrências devido a acidente ou fenómeno natural, que ascendem a 22% do total dos incidentes reportados, a manutenção ou falha de hardware ou de software, responsáveis por 16% dos incidentes e ainda os ataques maliciosos que originaram 3% dos incidentes.

“Em 2020, a maioria das notificações teve impacto em dois ou mais serviços de comunicações eletrónicas acessíveis ao público. De acordo com as notificações recebidas, a telefonia fixa foi o serviço mais vezes afetado, com 88% do total de notificações recebidas; seguindo-se a telefonia móvel, com 70%; e a Internet móvel, com 33% do total de notificações”, revela o regulador em comunicado.

A entidade liderada por Cadete Matos revela ainda que, nos últimos seis anos, verificou-se que os três serviços mais afetados foram, em ordem decrescente: telefonia fixa (70%), telefonia móvel (57%) e Internet móvel (45%). A Internet fixa, a TDT e a TV por subscrição foram serviços afetados em respetivamente 29%, 23% e 20% das notificações recebidas.

“Dos 27 incidentes de segurança que foram notificados devido ao impacto sobre o número de assinantes/acessos afetados (patamares), nove foram abrangidos pela obrigação de divulgação ao público pelas empresas MEO, NOS e NOWO/ONI”, revela ainda o comunicado.