Sociedade

Pavilhão de escola secundária em Matosinhos encerrado devido a estirpe de legionella

As canalizações da escola já foram analisadas duas vezes e a bactéria ainda continua presente. 


Uma estirpe de legionella encontrada nas canalizações obrigou a fechar o pavilhão desportivo da Escola Secundária Abel Salazar, em Matosinhos, porém não coloca a saúde pública em “qualquer perigo”, confirmou a autarquia à agência Lusa.

A estirpe de legionella foi detetada antes da reabertura das escolas, por isso o pavilhão da escola secundária de Matosinhos não reabriu nesta segunda-feira.

Em articulação com a Unidade de Saúde Pública de Matosinhos, a câmara tomou as providências necessárias, ao desinfetar as canalizações através de um tratamento químico e térmico.

O local já foi analisado duas vezes e a bactéria mantém-se presente, pelo que o pavilhão continua fechado, revelou a câmara à Lusa.

A câmara de Matosinhos explicou, em comunicado, que realizou análises à presença de legionella em todas as escolas e equipamentos escolares até então encerradas, na sequência das medidas para a contenção da pandemia do novo coronavírus.

"Uma medida precaucionária que pretendia proteger a comunidade escolar da eventual presença deste tipo de bactérias, uma vez que o facto de as escolas terem estado encerradas constituía um fator de risco acrescido para o aparecimento desta bactéria nas canalizações", indicou a autarquia.