Politica

Governo britânico defende decisão "ultra cautelosa" de retirar Portugal da 'lista verde'

"Há em Portugal evidências crescentes de uma mutação adicional, que ficou conhecida como a variante do Nepal”, justificou governante inglês.


O ministro da Habitação britânico, Robert Jenrick, veio, esta sexta-feira, defender a "abordagem ultra cautelosa" de despromover Portugal da ‘lista verde’ de viagens, enquanto é avaliado o risco de uma mutação da variante nepalesa do vírus.

"Há em Portugal evidências crescentes de uma mutação adicional, que ficou conhecida como a variante do Nepal. E como ainda não sabemos se isso será um problema, é aconselhável adotar uma abordagem ultra cautelosa, enquanto os nossos cientistas analisam os dados, veem quais são as suas características e, acima de tudo, se as nossas vacinas são eficazes", afirmou o governante à BBC.

Segundo afirmou, quinta-feira, o ministro dos Transportes britânico, Portugal passa para a ‘lista amarela’ “para "salvaguardar a saúde pública contra variantes preocupantes" e proteger o programa de vacinação britânico.

Sublinhe-se que os viajantes que tenham estado em Portugal e regressem a solo britânico passam, assim, a estar sujeitos a restrições mais apertadas, como uma quarentena de 10 dias na chegada ao Reino Unido e dois testes PCR, no segundo e oitavo dia, enquanto os países da ‘lista verde’ estão dispensados dessas exigências.