Opiniao

Telemedicina – Uma nova relação médico-paciente

A prática da Telemedicina é sem dúvida uma solução com enorme valor acrescentado para médicos e pacientes


Por António Pina

CEO da YesDoc  

A Medicina deve ser das áreas que mais evoluiu e tirou proveito dos avanços tecnológicos. No entanto, o ato médico em si, na esmagadora maioria dos casos, ainda é praticado da mesma maneira que seria há centenas de anos atrás: no ambiente de um consultório médico.  

Se há uma lição que podemos extrair dos tempos de pandemia que temos vindo a atravessar, é de que conseguimos reinventar os processos de interagir com os demais, considerando a impossibilidade de nos deslocarmos ou a limitação de estarmos no mesmo espaço físico.

A Telemedicina, e a panóplia de tecnologias digitais que lhe estão associadas, permite reinventar a consulta médica tradicional sem implicar a deslocação a um consultório. 

Com efeito, sem ser necessário grandes conhecimentos de tecnologia e desde que haja um ponto de ligação de internet que permita ligar um smartphone (paciente) a um computador (médico), poder-se-á realizar uma consulta médica com a devida qualidade, com recurso a imagem e som, permitindo uma interatividade bidirecional com, por exemplo, envio e requisição de exames médicos. 

Deste modo, os médicos poderão criar uma prática profissional, a tempo inteiro ou parcial (mediante a sua disponibilidade e agenda), sem recurso ao tradicional consultório físico, evitando os custos inerentes a uma estrutura própria, por exemplo o pagamento de rendas de imóveis, salários de colaboradores e gastos com mobiliário, eletricidade, água e limpeza. Obviamente que os ganhos económicos daqui decorrentes são imensos.

Por outro lado, o facto de estarem acessíveis, sem necessidades de deslocação por parte dos seus pacientes, aumenta de forma significativa a capacidade de chegar a mais pessoas, localizadas em diferentes geografias. 

Estudos recentes demonstram, igualmente, que a prática da Telemedicina incorpora enormes vantagens na relação médico-paciente, sobretudo em termos de confiança (mais de 90% de índice de satisfação registados) e compromisso (eliminação de 50% de não comparências ou cancelamentos em cima da hora).  

Para os pacientes os ganhos são evidentes. Desde logo, o acesso a médicos fora da sua área de residência, permitindo, por exemplo, que um residente (ainda que temporário por estar de férias, em trabalho ou como estudante) em Moimenta da Beira possa ser consultado por um médico localizado em Lisboa (ou o inverso), evitando uma deslocação dispendiosa em tempo e dinheiro. 

Não menos importante para o paciente é a economia de meios. Com efeito, marca a consulta para o médico que escolheu, de acordo com o horário da sua conveniência, sabe que vai ser atendido a horas, paga através do seu telemóvel, recebe no mesmo a fatura, a prescrição médica e/ou os meios complementares de diagnóstico e terapêutica. Tudo isto privilegiando a qualidade da consulta e o seu conforto.  

Por tudo isto, a prática da Telemedicina é sem dúvida uma solução com enorme valor acrescentado para médicos e pacientes. Não é por acaso que se estima existirem mais de 50 milhões de utilizadores recorrentes da Telemedicina nos EUA.