Sociedade

MP acusa advogado de se "aproveitar de jovens" e ficar com herança de 60 mil euros

"Aproveitou-se da ingenuidade e imaturidade dos jovens herdeiros para se apropriar de bens e valores que ascenderam a 60.405,50 euros”, lê-se na acusação.


O Ministério Público de Vila do Conde acusou um advogado de se apoderar de uma herança de 60 mil euros, pedindo a sua condenação pela prática de quatro crimes.

Na acusação, divulgada esta sexta-feira, o procurador encarregue do caso considerou que que o advogado desviou o valor em causa, depois de ter sido mandatado por dois jovens, irmãos e únicos herdeiros de um cliente entretanto falecido, para dar curso aos trâmites legais relacionado com o óbito e partilhas.

"Aproveitou-se da ingenuidade e imaturidade dos jovens herdeiros para se apropriar de bens e valores que ascenderam a 60.405,50 euros", lê-se no despacho de acusação, divulgado pela estrutura regional do Ministério Publico.

Em causa estão dois crimes de falsificação de documentos, um de abuso de confiança e outro de burla qualificada.

O MP pede ainda que o advogado fique proibido de exercer a atividade e que proceda ao pagamento ao Estado daquele valor.