Sociedade

Ricardo Salgado dispensado das sessões de julgamento sobre processo Operação Marquês

O coletivo de juízes tomou a decisão baseada nas circunstâncias da pandemia de covid-19.


Ricardo Salgado foi dispensado de comparecer nas sessões em tribunal, devido às circunstâncias da pandemia de covid-19, confirmou o coletivo de juízes do julgamento do antigo presidente do BES, esta quinta-feira.

O juiz presidente Francisco Henriques indicou, no início da segunda sessão do julgamento em curso no Juízo Criminal de Lisboa, no Campus da Justiça, que os “arguidos não são obrigados a estar presentes”, uma vez que o “coletivo só impõe a presença do arguido na última sessão para ele prestar as últimas declarações, se o quiser fazer”. Ainda assim, Francisco Henriques apontou as “particulares circunstâncias” derivadas pela covid-19.

Esta foi a justificação que o advogado de Ricardo Salgado, Francisco Proença de Carvalho, apresentou como “razão pela qual o arguido não compareceu”, ao indicar ainda que "a defesa mantém tudo o que disse sobre essa matéria e a interpretação da lei, e reafirma tudo o que já disse no que respeita às irregularidades invocadas".

Note-se que o ex-banqueiro não compareceu, esta quinta-feira, no Campus de Justiça, como havia acontecido na primeira sessão do julgamento, ocorrida na passada terça-feira. Novamente, as regras de prevenção à covid-19 foram invocadas pelos advogados de defesa de Salgado, para este poder exercer o direito a não vir ao tribunal.

Ricardo Salgado está a responder em julgamento por três crimes de abuso de confiança, devido a transferências de mais de 10 milhões de euros, na sequência do processo Operação Marquês.