Internacional

Grupo de rapazes veste saia após serem proibidos de utilizar calções na escola durante onda de calor

Como não podiam utilizar calções, os jovens optaram por comprar saias, uma vez que a escola secundária tem uma política que permite que qualquer pessoa utilize saia, independentemente do género. Mas a ideia não foi bem recebida.


Um grupo de rapazes decidiu protestar contra a “política desatualizada” do uniforme escolar após terem sido proibidos de utilizar calções na Poltair School em St. Austell, Cornwall, no Reino Unido, onde as temperaturas ultrapassaram os 30.º C esta semana.

Como não podiam utilizar calções, os jovens optaram por comprar saias, uma vez que a escola secundária tem uma política que permite que qualquer pessoa utilize saia, independentemente do género.

A decisão tinha como objetivo a atualização da política da escola secundária e permitir que todos utilizassem calções, rapazes ou raparigas. No entanto, não foi bem recebida.

“Expulsaram-nos das aulas e proibiram-nos de socializar com os nossos colegas durante 24 horas, mas acabaram por desistir porque não tinham nada para nos acusar. Não quebrámos nenhuma regra”, conta o estudante Adrian Copp, de 15 anos, citado pela imprensa britânica.

“Só queríamos que todos pudessem ter a opção de usar calções durante o tempo quente e isso também é válido para as raparigas”, acrescentou.

Segundo o regulamento da escola, “os estudantes devem utilizar calças pretas simples feitas de um material padronizado que se ajustam à cintura e à linha do sapato” e devem “complementar com um blazer”. Já as saias “devem ter pregas e ficar mais altas do que a largura de um cartão de crédito acima do joelho”.