Sociedade

Setembro começa com aguaceiros, granizo e trovoada

A culpa é de “uma depressão isolada em altitude” que se encontra “em aproximação ao território do continente”. Há 12 distritos sob alerta amarelo devido à previsão de precipitação e trovoada.


Adeus, verão. Prepare-se para tirar os chapéus-de-chuva do armário porque o mês de setembro vai começar com previsões de aguaceiros, granizo e trovoada. A culpa é de “uma depressão isolada em altitude” que se encontra “em aproximação ao território do continente”.

Segundo um comunicado do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), esta terça-feira divulgado, os efeitos da depressão serão mais sentidos já amanhã, “com um aumento gradual da instabilidade atmosférica ao longo do dia, começando logo de madrugada a manifestar-se essa instabilidade através da ocorrência de aguaceiros”.

Ao longo do dia “esperados mais aguaceiros que poderão ser por vezes fortes no interior Norte e Centro” e durante a tarde há “condições mais favoráveis à ocorrência de trovoada e granizo, não sendo de excluir, no entanto, que estes possam ocorrer ainda durante o período da manhã”.

“Associado à trovoada, estarão reunidas as condições atmosféricas para a formação de rajadas convectivas, que poderão ser localmente fortes e sem rumo definido”, sublinha a nota.

A depressão trará “uma massa de ar de caraterísticas marítimas e com elevado conteúdo em vapor de água, ficando a atmosfera com água precipitável disponível para se originarem precipitações que podem ser significativas”.

O IPMA sublinha que “esta situação aliada ao deslocamento lento da depressão, pode originar células convectivas em movimento igualmente lento, potenciando o perigo de acumulação de precipitação em quantidades elevadas”.

Há 12 distritos sob alerta amarelo devido à previsão de precipitação e trovoada: Aveiro, Braga, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Guarda, Portalegre, Porto, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu. Para estes distritos recomenda-se “as devidas precauções no que diz respeito a efeitos devido a danos por granizo, precipitação forte e ventos fortes no dia 1 de setembro”.

Já no dia 2, "a influência desta depressão ainda será sentida, mas com muito menor intensidade relativamente aos fenómenos meteorológicos e aos seus impactos, não se prevendo a emissão de avisos para esse dia".