Desporto

FIFA avalia suspensão do jogo entre Brasil-Argentina e promete "decisão disciplinar"

A partida entre as duas seleções, em São Paulo, foi interrompida, aos cinco minutos, por uma equipa da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, acompanhada pela polícia, devido ao alegado incumprimento de quarentena à chegada ao Brasil de quatro jogadores argentinos.


A FIFA vai avaliar a suspensão do jogo Brasil-Argentina, a contar para o apuramento para o Mundial’2022, lamentando o sucedido e prometendo também “uma decisão disciplinar” sobre o incidente.

"Os primeiros relatórios oficiais da partida já foram enviados à FIFA. Essas informações serão analisadas pelos órgãos disciplinares competentes e uma decisão será tomada oportunamente", afirma o órgão que dirige o futebol mundial, que repudia “as cenas que antecederam” a suspensão do jogo.

A partida entre as duas seleções na Arena Neo Química, em São Paulo, foi interrompida, aos cinco minutos, por uma equipa da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), acompanhada pela polícia, devido ao alegado incumprimento da quarentena à chegada ao Brasil de quatro jogadores argentinos.

"Foi na sequência do incumprimento das orientações e determinações. Quando os inspetores e os polícias foram verificar o hotel, foram informados que os jogadores haviam saído", explicou o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres.

A Ansiva acusa quatro jogadores da seleção argentina, que jogam em Inglaterra, de terem fornecido “informações falsas” à entrada no Brasil, sem revelarem a permanência em solo britânico nos últimos 14 dias, o que obrigaria a um período de quarentena, uma vez que esse país pertence à lista vermelha do Brasil.

Os jogadores em causa são Giovanni Lo Celso e Cristian Romero, treinados no Tottenham pelo português Nuno Espírito Santo, Emiliano Martinez e Emiliano Buendia, que pertecem à equipa do Aston Villa,

O jogo terminou assim aos cinco minutos. Depois de alguma discussão, a seleção argentina acabou por abandonar o relvado, enquanto os brasileiros realizaram um treino transmitido pela televisão.

Os argentinos negaram qualquer conduta imprópria e o presidente da Conmebol (Confederação Brasileira de Futebol), Ednaldo Rodrigues, disse que a Anvisa “excedeu os limites do bom senso” ao interromper o jogo.

O Brasil lidera a zona sul-americana de apuramento para o Mundial’2022, com 21 pontos. Atrás de si, está a Argentina com 15 pontos, que também está apurada para a fase final, no Qatar, onde irão os quatros primeiros classificados, já o quinto terá de jogar um ‘playoff’.