Sociedade

Lisboa sem urgências de Obstetrícia ultrapassados "todos os limites"

Grávidas e parturientes foram encaminhadas para a área de influência de cada hospital, “apesar do risco inaceitável”.


No último fim de semana, todos os hospitais da área da Grande Lisboa estiveram sem capacidade de receber urgências de Obstetrícia/Ginecologia. A garantia foi dada pelo Sindicato Independente dos Médicos (SIM) numa nota publicada no seu site oficial, explicando que “a escassez de recursos humanos médicos fez ultrapassar todos os limites nos Serviços de Urgência de Obstetrícia/Ginecologia em todos os hospitais da Grande Lisboa, todos eles em estado de contingência”.

“Face a este cenário de calamidade”, o Centro de Orientação de Doentes Urgentes da Delegação Regional do Sul do INEM encaminhou as grávidas e parturientes para a área de influência de cada hospital, “apesar do risco inaceitável”, indicou o sindicato. “Lamentavelmente a senhora Ministra da Saúde continua sem compreender que só conseguirá fixar mais médicos no Serviço Nacional de Saúde tratando-os bem”, esclareceu, exigindo “menos propaganda e mais investimento no SNS” e aconselhando aos médicos dos hospitais em causa “a apresentação de minutas de exclusão de responsabilidade por escassez de recursos humanos”.