Sociedade

Primeiro dia da Casa Aberta nas Lojas do Cidadão sem grandes problemas, mas secretária de Estado admite ajustes

A secretária de Estado da Modernização Administrativa fez um balanço positivo sobre o primeiro sábado da modalidade que serve para escoar renovações ou levantamentos do cartão de cidadão ou do passaporte. Porém, a falta de senhas e a grande afluência de pessoas causou algum tormento na loja nas Laranjeiras, em Lisboa. 


O primeiro dia da Casa Aberta nas Lojas do Cidadão correu sem grandes complicações, no entanto a secretária de Estado da Modernização Administrativa admitiu fazer uns ajustes nos próximos sábados nas lojas onde a procura é maior.

"Em termos globais, penso que é satisfatório o balanço que podemos fazer neste momento porque as pessoas aderiram e estão a resolver os seus problemas", apontou Maria de Fátima Fonseca, em declarações à Lusa.

Segundo a agência noticiosa, verificou-se um certo descontentamento esta manhã na loja das Laranjeiras, em Lisboa, devido à grande afluência de pessoas e à falta de senhas que esgotaram antes do meio-dia.

"Estamos a avaliar muito de perto todas as situações que vão acontecendo em todas as lojas e em que medida poderemos eventualmente afinar a nossa capacidade de resposta, procedendo a alguns pequenos ajustes, se for o caso, nas semanas subsequentes", afirmou a secretária de Estado.

Maria de Fátima Fonseca disse que "as senhas não esgotaram com rapidez" mas foram sim "ficando indisponíveis" ao longo do dia em algumas lojas, reforçando a opção de retirar senhas online aos utentes que pretendem renovar os documentos.

"O que nós estamos a recomendar é que de facto as pessoas acedam o mais possível à senha 'online' que está disponível no mapa cidadão onde aliás também podem verificar a disponibilidade de senhas em cada uma das lojas que fazem parte desta operação", explicou.

A modalidade ‘Casa Aberta’ vai permitir recuperar algum tempo perdido devido ao encerramento das lojas durante o período da pandemia, que, segundo a ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, a abertura de mais balcões durante mais tempo deverá ajudar a “escoar o acumulado de entregas e de emissões de cartão de cidadão".

Durante os próximos oito sábados – até 20 de novembro -, entre as 09h e as 22h, esta modalidade vai estar disponível na área de Lisboa - Laranjeiras, Saldanha, Marvila e Odivelas, na área do Porto - Porto e Vila Nova de Gaia, e também em Coimbra, Braga e Faro.