Internacional

Alemanha. Verdes acenam à coligação e Scholz fica mais perto do poder

Desde as eleições na Alemanha, este é o mais perto que o país esteve de formar um Governo.


Depois de um novo avanço nas negociações, Olaf Scholz, do Partido Social Democrata (SPD), está a um passo mais próximo de assumir o cargo de chanceler da Alemanha e de suceder a Angela Merkel, depois de os Verdes anunciarem que aceitavam juntar-se numa coligação com o SPD e com o Partido Democrático Liberal (FDP).

Este acordo foi bem recebido por parte de Scholz, que atualmente ocupa as funções de ministro das finanças, apontando um futuro diferente para a política alemã, com a bússola política a tombar para o centro-esquerda, em oposição ao centro-direita que marcou os últimos 16 anos neste país.

Desde o dia 26 de setembro, em que se soube o resultado das eleições, que as negociações não estavam tão avançadas para a formação do Governo. Agora, Scholz espera conseguir convencer os outros partidos com a sua visão para o futuro da Alemanha, com a esperança de “trazer o progresso e a necessária modernização” ao país, cita o Guardian, deixando ainda elogios aos seus novos parceiros, Verdes e FDP, pela forma “muito profissional e séria” com que foi tratada a formação deste novo Executivo.

“Chegámos à conclusão que é agora lógico continuar as discussões com o SPD e o FDP, com uma procura mais aprofundada de terreno comum”, disse a copresidente dos Verdes, Annalena Baerbock, que conseguiram o terceiro lugar nas eleições alemãs, numa conferência de imprensa, citada pela agência de notícias France-Presse.

No entanto, o copresidente do Partido Verde, Robert Habeck, apesar de admitir que “as discussões das últimas semanas mostrarem que as maiores intersecções em termos de conteúdo são concebíveis” para formar a ligação, este salientou que ainda existem “pontos em aberto e também diferenças consideráveis”.

Já o presidente do FDP, Christian Lindner, anunciou que as negociações com o Partido Social-Democrata de Olaf Scholz vão começar esta quinta-feira.

“Acabei de dizer ao Sr. Scholz, em acordo com os Verdes, que nos encontraremos já amanhã para conversações entre os três”, disse Lindner.

Apesar das negociações já avançadas da coligação entre SPD, FDP e Verdes, o os conservadores da União Democrata-Cristã (CDU/CSU) ainda sonha com a formação da chamada coligação “jamaicana”, em referência às cores dos partidos, com os Verdes e os Liberais, e evitar a coligação “semáforo”, entre estes dois partidos e o SPD.

Para já, como fez questão de frisar o liberal Christian Lindner, esta opção não parece totalmente fora da mesa, contudo, com o avançar das negociações atuais, esta parece cada vez mais difícil de se concretizar.

“Parece que já existe uma direção clara a seguir”, disse Markus Söder, líder do CSU, partido irmão da CDU, “mas o CDU-CSU não vai apenas ficar sentado e ficar em banho-maria”.