Vinagrete

Papéis de Pandora

 Até vimos como um primeiro-ministro que fez toda a sua campanha contra a corrupção e a fuga aos impostos, cedeu à tentação da offshore, para não pagar impostos na compra de uma mansão no estrangeiro


Os papéis de Pandora terão sido mais úteis, se levarem os governos a avançar com medidas para as offshores. Pelo menos deu para perceber porque os partidos e alguns políticos querem tanto defender as offshores, apesar do que elas prejudicam os países na cobrança de impostos.

 Está de moda cada um defender a sua, e as vantagens que trazem para o seu território. Até vimos como um primeiro-ministro que fez toda a sua campanha contra a corrupção e a fuga aos impostos, cedeu à tentação da offshore, para não pagar impostos na compra de uma mansão no estrangeiro (contrariando as sondagens, a não sendo eleito, mostrando que o eleitorado checo, apesar de ter apostado no seu populismo, é hoje mais maduro do que outros eleitorados, que se entretêm a eleger presidiários, com a desculpa de que serão bons administradores dos dinheiros públicos que em geral roubam). E depois se tudo é legal, até aparecem a admitir tudo, sem repararem na diferença que há entre a legalidade e a moralidade política.

Os portugueses aparecem a defender a sua offshore madeirense. E os restantes as suas. E quando aparecem lá políticos sem se compreender como ganharam tanto, isso parece-lhes secundário.