Economia

Argélia fecha gasoduto do Magrebe que serve Espanha e Portugal

A Argélia exporta cerca de 10.000 milhões de metros cúbicos de gás natural por ano para Espanha e Portugal.


A Argélia encerra o Gasoduto Magrebe-Europa, após 25 anos em funcionamento, alegando motivos políticos e geoestratégicos, mas prometeu compensar a Península Ibérica aumentando a capacidade do Medgaz e as exportações de gás natural liquefeito por via marítima.

"A decisão da Argélia é soberana e é fruto [da rutura] das relações diplomáticas com o seu vizinho de Oeste [Marrocos]. É verdade que é um acontecimento inédito e veremos quais são as opções e as medidas paliativas para que a Argélia possa honrar seus compromissos com um cliente tradicional, que é a Espanha ", disse o analista económico e financeiro local Mahfud Kaubi à agência de notícias EFE.

A Argélia exporta cerca de 10.000 milhões de metros cúbicos de gás natural por ano para Espanha e Portugal, através do GME, um gasoduto que atravessa Marrocos, mas Argel decidiu não renovar este contrato devido à grave crise diplomática entre aqueles dois países.

O gasoduto de Medgaz já transporta gás argelino para a Península Ibérica desde 2011, mas opera já na sua capacidade máxima de 8.000 milhões de metros cúbicos por ano, ou seja, metade das exportações anuais da Argélia para Espanha e Portugal.